NINGUÉM É INSUBSTITUÍVEL, MAS TAMBÉMNINGUÉM É DESCARTÁVEL

Adriana Marinho


Um dos grandes desafios que os empreendedores encontram é o de manter a harmonia dentro do grupo de colaboradores. É natural que seja assim, somos todos diferentes e cada um carrega consigo seus sonhos, histórias, problemas e demandas. Mas o que fazer quando os fatores de ordem pessoal passam a interferir na produtividade do trabalho?

A questão não é simples. Um grupo de trabalho é formado por pessoas cujas personalidades desconhecemos quando contratamos. A avaliação da competência profissional talvez se sobreponha ao perfil psicológico, que, muitas vezes, só vamos conhecer depois de meses de trabalho, quando um problema passa a interferir na produtividade.

Muitas vezes, os problemas emocionais são os maiores responsáveis pelo desequilíbrio da equipe. O grupo de colaboradores funciona como uma engrenagem e, quando uma parte não vai bem, todas as outras sofrem a interferência, o que pode desencadear conflitos maiores. Nesse caso, substituir a peça que não funciona bem seria uma solução imediata, se não estivéssemos lidando com pessoas.

Quando o empreendedor tem em mente o valor que cada funcionário tem, a simples substituição não é uma saída fácil para solucionar o problema. Não porque seria difícil encontrar alguém com a mesma competência e habilidade para executar o serviço, mas pelo fato de que ninguém é descartável.

O gestor precisa saber lidar com as diferentes personalidades que compõem a sua equipe e a harmonia deve ser pautada em muita atenção e conversa com os colaboradores. Em outras palavras, o grande responsável por manter a saúde emocional dos colaboradores dentro do ambiente de trabalho é o gestor. Por isso, é preciso que ele esteja atento e intervenha sempre que for preciso, para que o mau funcionamento de uma das engrenagens não afete o trabalho das outras.

Um conselho que dou é: coloque-se no lugar do outro. Procure saber o que seus funcionários têm passado, se têm algum problema mais grave, se têm algo importante a dizer, mesmo que não seja relativo ao trabalho. Essa atenção já desperta no colaborador o desejo de melhorar, pois percebe que alguém se importa com ele. Nada melhor do que boas doses de empatia para administrar conflitos e apaziguar os ânimos. E isso vale para todos os tipos de relações.

Redação: Intertexto

22 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo