“PARA ONDE ESSAS ÁGUAS IRÃO NOS LEVAR?”


Adriana Marinho



Há situações na nossa vida que exigem de nós muito mais que coragem. Quando vemos diante de nós uma oportunidade de fazer negócio, avaliamos as condições, nos preparamos e encaramos o desafio. Mas às vezes, quando já estamos empenhados na jornada, bate uma incerteza em relação ao resultado que alcançaremos no final. E aí? Será que vale a pena continuar?


Para ilustrar uma situação desse tipo, imagine que você e seu companheiro viram em um rio uma grande oportunidade de trabalho, um negócio que é novo no mercado, que vem chamando a atenção das pessoas e que parece bastante promissor. Então, para não ficar de fora dessa boa novidade, você e ele entram num barco e começam a deslizar sobre as águas desse rio. Meses depois, exaustos, sem conseguir contabilizar resultados significativos e sem saber onde exatamente esse rio deságua, você pergunta ao seu companheiro:


— Para onde essas águas irão nos levar?

E com muita prudência ele responde:

— Por que não pega os remos e decide?

Já comentei diversas vezes sobre as características do empreendedor. Ele tem um espírito inquieto, é corajoso, ousado, ambicioso... adora se atirar no mar e explorar novas oportunidades, mesmo que as águas estejam agitadas e que o tempo não esteja muito favorável para navegar. Independentemente das condições, o empreendedor sempre arrisca. Mas é perigoso ele nem sair do lugar se não tiver clareza na mente de onde quer chegar.


Ter coragem é fundamental, mas traçar metas e ter objetivos certos minimizam as chances de fracassar. Seja em águas turbulentas, desconhecidas ou calmas, nunca tire os remos das mãos. Não se deixe levar por qualquer oferta, por qualquer onda. Se você decide o seu destino e mantém o seu foco, não vai ser qualquer maré que vai te desviar do seu objetivo e da sua conquista.




Redação: Intertexto


13 visualizações0 comentário