UMA BOA FORMA DE EMPREENDER: Revenda de cosméticos e produtos de beleza

Adriana Marinho

Muitas pessoas pensam que empreender significa criar o próprio negócio, abrir uma empresa ou manter um estabelecimento comercial aberto ao público. Mas o que pouca gente sabe é que empreender pode ser mais simples do que parece. Não é necessário dispor de muito capital e nem de ter um projeto “súper” elaborado para começar a empreender. As oportunidades de fazer bons negócios estão à disposição de quem quiser!

Um excelente campo de negócios para mulheres que querem empreender é o de cosméticos. Esse ramo nem sempre é valorizado como deveria, mas oferece uma gama de oportunidades pelas diferentes formar de se exercer o trabalho e pela alta demanda por produtos. Afinal, produtos de beleza são itens que toda mulher usa, em maior ou menor proporção, porque não estão relacionados apenas à estética, mas também à autoestima e à saúde.

Empresas como Avon, Natura, Mary Kay e Racco, por exemplo, contratam revendedoras que podem fazer a prospecção e o atendimento a clientes de diferentes formas, seja pessoalmente, com a demonstração dos produtos, seja por meio de revistas, sítios na internet ou redes sociais. Infelizmente, o trabalho das revendedoras é pouco reconhecido, de modo que algumas delas nem vêm o valor que esse trabalho tem. Contudo, essas mulheres realizam um trabalho primoroso, que leva muito além de produtos de beleza a outras mulheres.

Talvez, o que está em falta é a falta de informação, já que muitas pessoas não sabem que as revendedoras têm plano de carreira nas empresas. Aquelas que dedicam-se com seriedade a esse trabalho têm um bom retorno, pois além de receber premiações em dinheiro ou produtos, podem ampliar a margem de lucro com as comissões. Para as revendedoras que visam o plano de carreira, as promoções podem levar a cargos mais elevados, como os de coordenadoras e diretoras, à medida que criam e ampliam a sua própria rede de revendedoras.

A revenda de cosméticos é, sim, uma forma de empreender. Pode ser uma alternativa de trabalho tanto como renda extra quanto como renda principal. Às vezes, é preciso desmistificar a ideia que se faz sobre o empreendedorismo e permitir reinventar-se, dando abertura a novas possibilidades. Essa abertura às novidades, o desejo de ser independente e o sonho de crescer são características natas dos empreendedores. Oferecer autoestima, autoconfiança, bom-humor e beleza a outras mulheres não é um trabalho insignificante. Ao contrário, é uma atitude tão nobre quanto proporcionar o bem e o sucesso de si mesma.

Redação: Intertexto

Junho/2020

10 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo